Linguagem M: qual o papel dessa linguagem no Power BI?

Se você está começando agora no Power BI, provavelmente já deve ter ouvido pelo menos uma vez alguém falar sobre a “Linguagem M” se referindo a algum tipo de linguagem dentro do Power BI. Mas o que é e qual é o papel dela dentro do Power BI?

A Power Query Formula Language, mais conhecida como Linguagem M, é o código utilizado na transformação de dados do Editor de Consultas do Power BI e Excel (por isso também o editor de consultas é conhecido por Power Query Editor). Esta linguagem permite ao usuário a automatização de conexões com dados, substituição ou elaboração de lógicas, criando uma série de passos que são realizados automaticamente sempre que a base é atualizada, permitindo, assim, um tratamento de dados mais efetivo.

O Power Query Editor, que utiliza a linguagem M por trás de seus passos aplicados, é uma ferramenta de fácil aprendizado, acessível e que apresenta grandes benefícios no tratamento de dados. Comparado à outras ferramentas, tem-se que o editor apresenta um tempo de domínio mais curto. Portanto, um processo de ETL (extração, tratamento e carregamento de dados) se torna muito mais simplificado utilizando-se o Power Query Editor e a Linguagem M.

 

Linguagem M

 

A linguagem M e o Power Query Editor no Power BI

Como citado anteriormente, o Power Query Editor é em uma interface gráfica presente dentro do Power BI, que permite a criação de Querys (consultas) mesmo que o usuário não conheça a linguagem M.

Durante as etapas de ETL no Power BI, o editor permite ao usuário manipular, transformar, enriquecer e preparar os dados. Neste processo, é possível a realização de passos

 como:

– Remoção de linhas e colunas;

– Substituição de valores;

– Realização de operações matemáticas em colunas;

– Alteração dos tipos de dados (número, texto, etc.);

– Classificação e filtragem de dados;

– Divisão ou junção de colunas.

Através da interface gráfica o usuário pode criar consultas e o Power Query editor traduz as etapas e utiliza a linguagem em seus passos aplicados, e permite que o usuário visualize as expressões utilizadas através do editor avançado.

Linguagem M

Assim, o domínio da linguagem M permite que o usuário explore seus dados além do que a interface gráfica do editor de consultas pode fornecer. Por existir mais de 600 funções disponíveis, muitas etapas só são possíveis através do conhecimento e aplicação correta da programação em M. Portanto, ao aliar a linguagem M, com aprofundamento de seus elementos, ao Power Query, é possível obter um resultado muito mais poderoso, simplificado e efetivo no tratamento dos dados.

Então, pode-se concluir que o entendimento e domínio da linguagem M são diferenciais que podem potencializar os resultados obtidos e garantir uma economia de tempo, estando o programador em linguagem M alinhado com o que há de atual no tratamento de dados.

Características da Linguagem M

A Linguagem M possui uma sintaxe sequencial, fluindo de um passo para outro, sendo o resultado do passo anterior utilizado no passo seguinte. Assim, torna-se uma linguagem mais prática e fácil de entender se comparada a outros tipos de linguagens de programação. 

Linguagem

Outra característica interessante é a de que um passo não é calculado se não for utilizado, evitando-se cálculos desnecessários que acabam fazendo com que os arquivos levem mais tempo e consumam mais memória ao serem carregados.

A linguagem M possui mais de 600 funções. A relação de todas elas e sua documentação podem ser encontradas em https://datab.me/FuncoesM. Nesta documentação da Microsoft você terá acesso a todas as funções M, classificadas em categorias exclusivas.

As funções M podem utilizar objetos de tipos variados como parâmetros. Alguns desses tipos são os seguintes:

– Números e textos;

– Objetos binários;

– Data/ hora;

– Listas contendo vários elementos;

– Tabelas;

– Outras Funções.

A linguagem M possui também expressões que incluem lógicas, como if, then, else. Dentre estas expressões, destacam-se a let e in, que indicam o bloco no qual as variáveis são definidas e o bloco onde são colocadas as saídas para a consulta, respectivamente. Além disso, cabe lembrar que a linguagem M faz distinção entre maiúsculas e minúsculas, devendo o programador ficar atento a este fato durante a utilização da linguagem.

Estudando a linguagem M

Para aprofundar os estudos em linguagem M, é interessante, primeiramente, o entendimento do funcionamento da linguagem dentro do editor de consultas, utilizando o “Editor Avançado” no Power Query. É interessante também a utilização do catálogo de funções do site da Microsoft, já mencionado, como um guia. Além disso, existem outras fontes que podem ser consultadas para estudo e aprofundamento em linguagem M. São as seguintes:

Canal do Laennder Alves: https://youtube.com/LaennderAlves

Criss Webb: https://blog.crossjoin.co.uk

M is for Data Monkey: https://www.amazon.com.br/Data-Monkey-Guide-Language-Excel/dp/1615470344

Fórum Power BI: https://forumpowerbi.com

Power BI Community: https://community.powerbi.com/

Artigo revisado por Laennder Alves

2019-10-03T18:37:24-03:00

Comente!

Informações de Contato

  • Av. Paulista, 171, Andar 4, Bela Vista, São Paulo/SP CEP 01311-904
  • (11) 9 4052 2499
  • comercial@datab.com.br
  • De Segunda à Sexta-feira Das 9:00 às 18:00

Posts recentes